9 Insights Que Aprendi Lançando o Thiago Nigro

Por Gio em
Postado ou atualizado em 24 de fevereiro, 2021

Quanto mais você “sobe” na escada do marketing digital, mais você tem acesso à insights originais.

Em um lançamento de 8 dígitos, as pessoas não estão preocupadas com “qual fórmula seguir”. Elas simplesmente entendem de princípios (de marketing e vendas) – e usam esses princípios pra criar.

E com isso o game se torna muito mais divertido…

Porque a internet se torna um laboratório – e você um cientista maluco. Com passe livre pra criar, se divertir e “imprimir” cash.

E escrever as copys do lançamento do Nigro foi isso: original.

Criamos algo totalmente fora da caixa, jogando fora todas as regras e fórmulas (ou seja: o que você vai aprender nesse artigo, nenhum curso ensina).

E agora você está prestes a aprender os 9 principais insights que eu tive participando de um dos 3 maiores lançamentos da história.

Divirta-se e anote! 🙂

1. O poder do caos positivo

A maioria das pessoas tá numa busca constante pelo próximo shot de dopamina – ou seja, prazer. É aquele hormônio que inunda seu corpo quando você vence uma partida no videogame ou quando você recebe uns likes no Instagram.

E sabe qual é um dos maiores gatilhos de dopamina? Novidades.

E o caos positivo é exatamente isso: mudanças constantes, reviravoltas e surpresas. Imprevisibilidade!

E sabe por que isso é tão poderoso? Porque quando você aplica isso no seu lançamento ou funil, você vicia sua audiência.

Afinal, é emocionante! Eles nunca sabem o que esperar, e por isso, vão sempre voltar pra ver o que tem de novo.

E o contrário é verdade também: quando seu prospect vê um anúncio com uma chamada clichê ou genérica, ele pensa: “ah, eu já sei o que tem aqui dentro”. E simplesmente continua scrollando, buscando seu próximo shot de dopamina.

Quer fazer com que seu marketing nunca mais seja ignorado? Seja imprevisível. Pense fora da caixa. Além de engajar mais sua audiência, você fará com que eles continuem abrindo seus stories ou e-mails – dia após dia.

O lançamento da Mentoria Mil ao Milhão foi entropia pura. E esse é um dos principais motivos do porquê as lives batiam 150.000 pessoas ao vivo. Somos viciados em emoções.

Dica: muita gente ainda usa o nome “SEMANA DO XXX” na hora de fazer um lançamento, e cara, que erro noob!

Isso acende instantaneamente o alerta de vendas na cabeça dos seus leads mais espertos – principalmente dos frios.

E quando isso acontece, o fator gratidão enfraquece e muitos deles percebem que é só mais uma estratégia de vendas.

Ou seja: seja imprevisível. Quando seu leitor menos esperar, batata.

ei, peraí rapidão: tá gostando?
se quiser entrar na minha lista privada, a hora é agora 🙂
e ah: confesso que não mando muito e-mail, mas quando mando vale a pena.

2. Comece uma onda

Somos seres sociáveis. Nos adaptamos pra viver em comunidades. E nossas ações são justificadas pelas ações do nosso bando.

Exemplo: é muito mais fácil perder o emprego em uma demissão em massa do que ser demitido sozinho. E repara: você foi demitido do mesmo jeito. A diferença é que na primeira opção, existe um consolo em não estar sozinho.

E é exatamente por isso que o ser humano ama movimentos.

O José, que antes não tinha muitos amigos, finalmente encontrou uma causa a qual faz sentido pertencer. Ele se torna parte de algo maior!

Isso são ondas ou movimentos: uma união muito grande de pessoas em prol de uma causa ou um propósito.

Esse lançamento gerou uma onda gigantesca (de mais de 150 mil pessoas) com um único propósito: aprender a semear.

E olha que legal: se você adiciona um fim pra essa onda, ela se torna 2x mais forte. Porque isso transforma ela numa oportunidade única.

Isso mexe com seu senso de urgência e evita o clássico “ah, depois eu assisto” – que nós dois sabemos que nunca chega.

Quer uma adesão sobrenatural ao seu lançamento ou marca? Comece uma onda. Dê um propósito para as pessoas.

E então, faça as pessoas respirarem isso: crie um clube, hashtags, produtos personalizados, expressões que ninguém de fora entende ou até memes.

Se você olhar para os maiores criadores de conteúdo do Brasil hoje você consegue perceber os movimentos claramente.

Alguém que faz isso muito bem é o Sobral.

Cara, ele criou uma “sociedade alternativa”. Com suas próprias hashtags e piadas internas.

Os membros desse movimento vestem a camisa da comunidade (figurativa e literalmente, com o clássico “subido”).

Insight:

  1. Quer criar algo gigante? Entenda que produtos e serviços não movem pessoas. Um bom propósito move pessoas. Um dos motivos de lançamentos funcionarem bem é porque eles criam uma mini-onda. E como as pessoas não querem que essa energia acabe, elas acabam comprando o produto.
  2. Se sua onda não tem data pra acabar ou algum incentivo de urgência, as pessoas vão procrastinar. Você é assim, eu sou assim. Então, sempre dê motivos pra as pessoas agirem agora.

3. Mentes iguais não criam

Cara, a melhor parte de morar aqui em Alphaville é estar rodeado de pessoas fodas – em áreas completamente diferentes da minha bolha habitual (copywriting e marketing direto).

Qual é a tendência do ser humano? Buscar pessoas parecidas consigo mesmas, óbvio.

Fazendo isso nos sentimos mais seguros, e nossas falhas em comuns são justificadas (ex: quando você bebe sozinho pode até sentir peso na consciência, mas quando seus amigos bebem também, é bem mais aceitável).

Mas o problema de pessoas que pensam igual é que elas dificilmente criam coisas diferentes. A diversidade é a maior força criativa do planeta.

Se eu converso com um copywriter foda, provavelmente teremos ideias parecidas.

Mas se eu converso com um especialista em Branding, surgirão ideias totalmente fora da caixa.

E sabe qual foi um dos pontos chave desse lançamento? O choque de mentes com backgrounds e histórias completamente diferentes.

Mas todos com o mesmo objetivo: causar um impacto gigantesco no país através do maior lançamento da história.

Insights:

1) Faça masterminds com frequência. Conecte-se com pessoas inteligentes. Não tem gente foda na sua cidade? Use o Zoom. E ah: diferente do que a maioria das pessoas está acostumada, gaste seu tempo falando de ideias, não de pessoas.

2) Esteja perto de pessoas parecidas – mas aventure-se fora da sua bolha. É lá que moram as BIG Ideas.

P.S.: Mastermind não precisa ser algo complexo. É simplesmente uma comunhão de pessoas pra discutir ideias.

4. O óbvio que insistimos em esquecer

Era uma tarde de segunda-feira quando fizemos a primeira call de Briefing e Planejamento. E cara, a cada minuto surgia uma nova ideia genial.

Até que o Marcos Paulo (estrategista e lançador do Pablo) entrou na call. E ele simplesmente acabou com o fluxo de ideias.

Por quê?

Porque ele nos lembrou que ideias sem foco valem 2 centavos.

Naquele dia eu aprendi uma lição importante: nunca comece uma reunião sem objetivo.

Isso é algo óbvio que a gente constantemente esquece.

Se você começar, será igual uma esteira de academia: você anda, anda, e não sai do lugar.

Até porque o processo criativo é infinito: e se você não coloca um fim nele, você vai ficar planejando pelo resto da vida.

Insight: uma ideia só é importante quando você canaliza ela em estratégias e execução. Não existe ideia milionária – porque os milhões estão na execução.

2) Nunca comece uma reunião sem uma visão clara do porquê aquilo ali está acontecendo.

ei, peraí rapidão: tá gostando?
se quiser entrar na minha lista privada, a hora é agora 🙂
e ah: confesso que não mando muito e-mail, mas quando mando vale a pena.

5. Storytelling na vida real

Na hierarquia do cérebro humano, primeiro veio o límbico (emoções) e depois o neocórtex (racional).

E por isso funcionamos assim: movidos por emoções, hormônios e impulsos.

Se você quer influenciar humanos, você precisa conversar na linguagem do emocional.

E por isso storytelling funciona tão bem – histórias te passam lições sem você perceber.

O lançamento do Nigro não foi sobre só uma mentoria de finanças. Foi uma narrativa sobre semeadura.

Ensinando as pessoas que, se você planta uma pequena semente de maçã, dali vão sair milhares de maçãs.

E como toda boa história, tinha personagens:

  • O espantalho serve e ajuda, mas sem muita energia e dedicação.
  • O corvo tem energia mas é só um comedor de sementes. Não pensa no amanhã. Não entende que dentro de uma semente existem milhares de frutos.
  • O ladrão rouba sementes, não gosta de evoluir e não valoriza o que recebe.
  • E o semeador, que planta e colhe milhares de vezes mais.

Uma vez que você cria essa imagem, é óbvio que o expectador vai escolher ser um semeador.

E adivinha qual é a melhor forma de aprender a semear?

Fazendo um bom curso de finanças 🙂

Insights: não veja as pessoas como adultos, mas como crianças crescidas.

Todos temos uma criança interior, que reage e responde quando uma copy conversa diretamente com ela.

Se seu marketing só conversa com o nível racional, você tá fazendo 15% do que poderia. Use imagens, palavras emocionais e metáforas.

Isso fará com que seu mercado se conecte emocionalmente com você, transformando clientes em fãs.

6. Sua oferta é tão importante quanto seu produto


Se você dá um presente pra alguém, a pessoa só sabe o que tem dentro depois de abrir.

Na venda, é a mesma coisa: seus clientes só saberão que seu produto é incrível depois que comprarem.

E aí entra o paradoxo: se você não mostra que seu produto é incrível antes de comprarem, eles não virarão clientes e nunca verão por conta própria.

Seu produto pode ser ouro. Se você embala com papelão, ninguém vai comprar. Afinal, o ouro está escondido.

O Nigro tem um conteúdo incrível – mas as pessoas só vão descobrir isso se a oferta for boa o bastante pra comunicar isso.

24horas antes da abertura do carrinho, sentamos pra discutir o lançamento. E na última hora, percebemos que por mais que o produto estivesse ótimo, a embalagem não estava.

Antes de mudarmos, a oferta era uma mentoria de 45 dias com caras fodas.

Mas o que adianta te colocar na frente de bilionários se você não tá preparado pra fazer as perguntas certas? Nada.

E aí percebemos que eles precisavam de uma base.

E aí o Nigro decidiu fazer um overdeliver absurdo, jogando os dois melhores cursos dele (+ de R$4.500) no pacote – mantendo o mesmo preço.

Dessa forma, o cara ia comprar a Mentoria, mas ela só aconteceria depois de 45 dias.

E nesses 45 dias de intervalo, ela estudaria os cursos e chegaria com uma base sinistra na mentoria, podendo aproveitar ao máximo.

Insight: se o cliente ainda não comprou, a embalagem importa mais que o produto.

7. Seu perfeccionismo não passa de uma boa desculpa

Um dos lemas do Facebook no início era: “move fast, break things”. Ou seja: mova-se rápido, quebre coisas.

No mercado digital, a velocidade de execução sempre vai ganhar da preparação. Até você estar preparado, alguém mais rápido já veio e tomou seu lugar.

Pessoas perfeccionistas costumam demorar muito mais pra “chegar lá” – e na maioria das vezes nunca chegam.

E se você acha que perfeccionismo é um traço de personalidade, saiba que ele não passa de uma desculpa.

Uma desculpa usada por quem tem medo de errar. Ele te permite adiar cada vez mais a execução – e quem não executa, não erra.

Ou seja: você se sabota pra nunca ir pro campo de batalha.

Eu entendo bem disso: eu mesmo tive que me livrar desse vírus.

Insight: execute, lance, rode os ads logo. Mesmo que não esteja perfeito (dica: nunca vai estar).

E entenda: você vai errar. Então, pelo menos erre rápido.

Você só vai ver as falhas no plano quando colocar em prática – e tá tudo bem.

Encare como um ciclo -> planejar, executar, analisar, adaptar, repeat.

Se tivéssemos feito tudo pra deixar perfeito, estaríamos planejando até hoje.

8. Não tenha compromisso com o erro

Um conceito que aprendi recentemente é a ideia de “pivotar”, ou mudar repentinamente de direção.

Não é sobre desistir: é sobre entender que, no caminho, você cresce e muda.

E conforme você cresce, coisas que antes faziam sentido podem se tornar coleiras.

Nesse lançamento, a equipe pivotou várias vezes, e isso foi crucial pra tudo dar tão certo como deu.

Se você percebeu que sua decisão não foi a melhor, mude. Se tiver consequências, arque com elas.

Mas nunca mais aceite ser escravo dos seus erros passados.

Insight: não tenha medo de mudar de ideia se perceber que um plano não faz mais sentido.

9. Pessoas são preciosas

Nada grande é construído sozinho. E esse lançamento não foi diferente.

Se você quer ter um impacto grande na humanidade, entenda: você vai precisar de pessoas. Com o mesmo propósito e habilidades diferentes.

Por mais que eu tenha escrito a carta de vendas, se eu tiver 1% do mérito desse lançamento já é muito.

Além do próprio Thiago Nigro, com quem peguei insights inestimáveis, na equipe tinha algumas das pessoas mais inteligentes e ferozes que eu já tive o prazer de trabalhar:

  • O Pablo Marçal, que enxerga padrões antes de todo mundo e consegue trazer à existência projetos inexplicáveis.
  • O Júnior das Neves, que com uma criatividade sobrenatural criou estratégias, ideias e grande parte da narrativa.
  • O Kayque Veloso, que foi o gestor da parada conectando os pontos e garantindo que tudo estava sendo feito.
  • O Arthur Varela, que fez a gestão do tráfego em tempo recorde.
  • O Marcos Paulo, que liderou o lançamento trazendo organização e visão pro bando.
  • O Paulo Fasanela, outro fera do time que ajudou com as copys.
  • E a equipe do Nigro (Hugo, Kaique, Gui, Daniel e Lucas) uns caras novos mas super sangue no olho.

Insight: quer ser forte? Escolha bem sua alimentação. Quer ter sucesso e impacto? Escolha bem as pessoas ao seu redor.

Conclusão

A diferença entre os 6 e os 8 dígitos não é aquilo que você já tá ligado que você precisa aprender.

A real diferença é aquilo que você nem faz ideia que existe.

Espero que esse post tenha expandido seu campo de consciência – te mostrando que o jogo vai bem além de fórmulas e regras.

Quem me conhece sabe que eu não gosto de ensinar receitas de bolo… Minha missão é evoluir sua habilidade de pensar.

Porque quando você domina a arte do pensamento, você consegue resolver qualquer problema, sem depender de ninguém.

E a partir de hoje, conforme você for descobrindo os princípios da natureza humana, você vai adquirir a habilidade mais poderosa da Terra: a arte da influência (e persuasão).


Fica na paz e um abraço, Giovani Barcelos

E ah! Deixa um comentário aqui embaixo falando sua opinião sobre isso tudo que você acabou de ler. (eu leio todos :D)

 

P.S.: se você estiver buscando os insights que te prometi, é só clicar aqui.

 

entre pro time dos gênios, loucos e bem intencionados :-)

se inscreva para receber conteúdos sobre copy, business e vida :-)

deixe um comentário:
Contribua com esse artigo: